segunda-feira, 10 de maio de 2010

pinguins imperadores e outras especies



Os pinguins imperadores

Pinguins imperadores são os mais famosos dos pinguins, vivem apenas na antartica, chegando a medir cento e vinte centímetros de altura, o equivalente a um metro e vinte centímetros, e chega a pesar trinta quilos. Seu nome cientifico é aptenodytes forsteri, é uma ave que não voa, mas especializada a nadar. a cabeça, o dorso e a parte superior das asas são escuros enquanto a região interna das asas são brancas. Os pinguins imperadores tem uma plumagem interessante que faz ele se distinguir dos outros pinguins, a tal mancha dourada tendendo a laranja é o seu ouvido, possui um bico comprido e fino com uma mancha lateral clara. A sua reprodução acontece no inverno em grandes colónias com milhares de indivíduos, vou contar detalhadamente no texto abaixo. Como todas as outras espécies, o pinguim imperador não tem a capacidade de voar, e, durante o inverno fica em terra firme, suportando baixissimas temperaturas de menos cinquenta graus celsius e os ventos de cento e cinquenta quilómetros por hora e passa o verão na água. Por isso tem varias hadaptações ao frio, suas principais "armas" contra o frio são as penas e a gordura, mas existem outras, como o pescoço curto e a cabeça pequena, que o protege do frio pois reduz a superfície de perda de calor; em compensação o seu corpo em forma de fuso facilita o deslocamento embaixo d' água. O pinguim imperador também é míope sua visão é borrada fora da água e mal consegue perceber a cor vermelha, assim como os animais abissais das profundezas oceânicas não conseguem detecta-las. Seus orifícios nasais são finos, facilitando o aquecimento do ar inspirado antes de chegar aos pulmões, embaixo da água é diferente, ele expele através desses orifícios o excesso de sal absorvido quando engole a água do mar. Curtas e fortes, as asas dos pinguins imperadores perderam a articulação do cotovelo e se movem rígidas agora, não são utilizadas mais para voar, mas funciona perfeitamente como um remo, impulsionando, abaixo d' água, o seu corpo, não funcionando somente abaixo da água, também é bem utilizada em terra firme para descer e subir em encostas. A plumagem branca e preta também é uma adaptação : o dorso preto capta os raios de sol e permite que o animal se aqueça, e a sua barriga branca faz com que se confunda com o gelo que o rodeia enquanto mergulha. Álem disso, a sua plumagem é bem densa: em terra, as penas se sobrepõe como telhas, criando uma camada de ar entre o exterior e o corpo do animal, evitando que o calor de seu corpo se disperse, um corpo perfeitamente adaptável nas condições em que vive. Cada pé seu não termina em cinco dedos mas em quatro, e em todos eles possui longas garras afiadas. Os pinguins imperadores conseguem percorrer longas distancias a pé, e alguns deles já foram vistos em profundidades de duzentos metros. Ao andar, dá curtos passos e prende-se ao gelo com suas garras afiadas. Mas a uma maneira melhor que os pinguins imperadores acharam de se locomover no gelo: deslizando, é como ele nadasse, impulsionando o seu corpo em terra com ajuda de suas patas e asas. Nadando, o pinguins não parece tão desengonçado assim, nada como um peixe em alta velocidade dando uma serie de saltos espetaculares na superfície e encantando muitas pessoas que vêem, embora poucas pessoas tem esse privilegio pelos pinguins imperadores viverem em um local tão isolado pelo homem.
A vida dos pinguins imperadores
Se você acha que sua vida é difícil, depois desta rotina dos pinguins imperadores vai até achar fácil. Todos os anos, os pinguins imperadores, nos meados do mês de Março, eles abandonam o mar (não se sabe onde eles ficam no verão) para ir a antartica. o grupo todo se rezeva em um local até todos os indivíduos do grupo já estarem lá, eles dão o sinal de partida. A maioria vai deslizando de barriga, nunca, o grupo se perdeu, mas alguns acabam se perdendo do grupo e morrendo. O grupo vai em fila indiana, equilibrando-se em placas de gelo. Algumas áreas de procriação estão a duzentos quilómetros de distancia, por isso, alguns indivíduos acabam morrendo. Lá para o mês de Abril, o grupo já na área de procriação, a fêmea escolhe o macho, as vezes ocorre briga entre machos pelo número de fêmeas ser menor. Escolhido o macho, o casal arranja um local distante do grupo para se reproduzir. A fêmea põe um ovo com cerca de quatrucentos e quarenta gramas e leva-o com o bico para debaixo das patas do macho sem tocar no gelo, se for tocado e ficar lá por muito tempo o ovo congela-ra e o o embrião morrera. Feito, todas as fêmeas, por instinto, sairão do local de pocriação e irá ao mar comer peixes pois faz dois meses que elas não se alimentam, para alimentar o filhote. Até lá, todos os machos do bando passarão fome e se encarregarão de incubar o ovo em uma bolsa que a, equilibrando o ovo entre suas patas sem deixar que o ovo encoste no gelo, protegendo com a prega de pele situada na parte inferior da barriga. Assim o ovo mantém a temperatura de trinta e cinco graus enquanto a temperatura do ambiente é de menos cinquenta graus. O outono acaba, o sol se pôs e agora os machos terão de enfrentar as mais fortes tempestades e as mais baixas temperaturas, enquanto as fêmeas em sua longa marcha finalmente chegam ao mar, uma fenda entre o gelo. Como todas as rachaduras que a entre o gelo na antartica são bem estreitas no inverno, os pinguins tem que ir de um em um. Mas estes mares tem os seus predadores, os predadores dos pinguins são orcas focas e tubarões, mas aqui o perigo são as focas. As focas ficam a espreita até o perfeito momento de atacar, e as vezes elas se saem bem sucedidas. Na colónia dos macho surge a aurora austral, mas isso não pode aquece-los. Mas o sufoco chega ao fim, em Julho o sol surge, e os filhotes saem dos ovos, o filhote está faminto e o macho dá um pouco de comida a ele, se a fêmea não voltar logo, o macho terá de abandonar a cria, mas as fêmeas sempre chegam na hora, o macho terá de entregar a cria e se alimentar nos mares. Em Setembro as fêmeas se rezevam para tomar conta dos filhotes, eles daram seus primeiros passos e aprender como se defender do frio. Mesmo na primavera a rajadas de vento, e nevasca muito fortes, os filhotes se aglomeram já que as mães não podem ficar com eles por serem grandes demais. Em algumas nevascas fortes os grupos de filhotes morrem. Depois da nevasca, algumas mães que tiveram seus filhotes mortos entram em desespero, e como seu instinto maternal é tão grande que tenta roubar o filhote de outra mãe. Os predadores dos filhotes são gaivotas, elas esperam achar algum grupo sozinho para atacar, geralmente eles se aglomeram e vão atrás de um adulto para se proteger, mas quase sempre a uma vitima. Depois de muito tempo, os filhotes começam a trocar de penas e sentem menos fome, os filhotes, todos de uma vez só vão a um local onde ninguém sabe onde fica, e depois voltam ao mesmo local, como se fosse um passe de magica.


Uma ave simpatica e uma curiosidade
Ao comparar o ADN de restos dos pinguins de Adélia de mais de seis mil anos com os exemplares atuais dos pinguins que vivem no mesmo lugar de seus antepassados, foi demonstrado o fenómeno mudança evoluitiva em pequena escala ou microevolução. É difícil de ser estudado este fenómeno em outras espécies pois foi graças as condições extremamente frias e secas que preservaram perfeitamente os restos dos pinguins pré históricos nas mais perfeitas condições. E por outro lado foi observado também que as diferenças genéticas das colónias entre si são muito menores do que se esperava que fosse, levando-se em conta que o instinto natural das aves é voltar para o lugar de origem de procriar, comportamento que estimularia as diferenças genéticas entre as distintas colónias com o passar dos séculos. Especulou-se também que o desprendimento dos enorme icebergs contribuíam a este fenómeno porque alteraram as rotas migratórias desses pinguins. Os pinguins ficaram famosos porseu aspecto engraçado e simpático, virando vilão em Batmam, cujo pinguins cuidam do bebe e marca da loja ponto frio. Também ficou famoso ao aparecer em desenhos infantis como pingu, mas não são tratados com rigor cientifico quando aparece no desenho infantil chilly willy, o pinguim vivendo com ursos polares, no entanto que pinguins vivem no polo sul e o urso polar no polo norte. Os primeiros seres humanos que viram os pinguins e se aproveitaram da sua carne como alimento foi o povo da terra do fogo há aproximadamente seis mil anos. As primeiras observações documentados foi realizado por vasco da gama em 1487 , depois de cem anos o explorador frances Beaulieu descreveu pinguins que havia visto no cabo, no sul Da Africa do sul, descrevendo eles como peixes com penas. Depois os marinheiros europeus descreveram os pinguins como passaros bobos, o mesmo nome que chamava o arau-gigante era conhecido no hemisferio norte, a ave já se extinguiu, o ultimo casal morreu na islandia em 1884.

Outros pinguins
Todos os pinguins vivem no hemiferio sul. Existem dezessete especies diferentes dos pinguins, todos parte da familia dos esfeniscídeos, tanto nas águas frias da antartica quanto nas águas temperadas das ilhas galapagos. Alguns pinguins passam um sufoco em algumas tempestades e tentam subir em alguns icebergs, eles saltam no iceberg na hora em que a onda estiver alta, o problema é subir lá, a maioria acaba escorregando. O desafio é chegar na area de pocriação que é esquentada por um vulcão ativo. Este é um os desafios que pinguins tem que enfrentar, veja abaixo algumas especies de pinguins.
especies de pinguins
PINGUIN AZUL
vive no sul da Australia, Tasmania e Nova Zelandia, pesando apenas um quilo e com quarenta centimetros de comprimento, é o menor pinguin de todos, o casal á muito fiel todos os anos, a fêmea põe somente dois ovos (raramente três) em buracos escavados. A foto do pinguin azul acima.
PINGUIN DE ADELIA
A históra que narrei acima foi deste pingumn, vivendo maior parte de suas vidas nas águas frias e congeladas proxima a antartica, embora esta espécie també seja encontrada mnais ao norte.
PINGUIN-MACARONI
esta espécie engraçada de pinguim vive em diversas ilhas subantarticas dos oceanos pácifico, indico e atlantico. Tem setenta centimetros de comprimento, e é a especie abundante, estimando doze milhões de casais reprodutores.
PINGUIN DE HUMBOLT
Vive nas águas do oceano pacifico que banham a costa do Peru e do Chile, e nas ilhas Juan Fernandez, pesa cinco quilos e seu tamanho mediano é de até setenta centimetros de comprimento, parecido com o pinguin de magalhães.
PINGUIN DE OLHO AMARELO
Esta espécie de pinguim é endemica das ilhas do sul da Nova Zelandia, tem o tamanho mediano de até setenta centimetros de comprimento e pesa na média oito quilos.
  • Fontes:Corpo humano, anatomia humana e animal

5 comentários:

planetadobem disse...

Olá
Gostei muito de conhecer seu blog.
Parabéns pelo trabalho apresentado.

Cleisson

NoVus disse...

Oi, achei o seu Blog excelente, muito interativo e com ótimas informações, também tenho um e ficaria muito grato se trocássemos informações como seguidores acesse: worldnovus.blogspot.com
Obrigado.

Maria, Jaqueline e Caroline disse...

eu queria sber a diferança dos sexos entre macho e fême (pinguins imperadores)

Henri são paulo disse...

A diferença entre sexos dos pinguins só pode ser detectada por meio do DNA.

Henri disse...

Também podemos perceber essa diferença observando os orgãos reprodutivos que ficam abaixo das penas

postagens mais lidas

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails