quarta-feira, 30 de junho de 2010

especial de inverno:a Antartica

Entendendo a antartica
Existem dois extremos no nosso planeta: o extremo sul e o extremo norte. No extremo norte existe o Polo norte, mas o que vou falar nesta postagem não é sobre o extremo norte, e sim o extremo sul. É muito mais desafiador viver no Polo sul pois lá se atinge as temperaturas mais baixas do planeta. A temperatura mais baixa já registrada foi na Antartica, os termómetros marcaram 89,2 graus celsius negativos. Resolvi falar deste local aqui pois no Brasil é o inicio do inverno, então resolvi falar de um local desafiador: a Antartica. A vários anos atrás, em 1773, não se tinha nóticia deste local, ninguém sabia que ele existia. Mas este mesmo ano isto estava prestes a mudar. Este continente foi descoberto pelo britânico Jams Cook, que, concerteza, ficou maravilhado com este mundo de gelo. Ao contrario do Polo norte, a Antartica é considerado um continente pois ele possui terra, ao contrario do Polo norte que é um bloco de gelo que está ameaçado de descongelar dentre dez anos com as mudanças climáticas. A Antartica é coberto por uma camada de gelo que chega a ter dois quilometros de espessura. Todo esse gelo corresponde a 70 % de toda a água doce existente no planeta Terra! a Antartica também é o local mais frio do planeta. Durante o verão a temperatura média é de zero grau celsius e no inverno, a situação é bem pior:oitenta graus celsius negativos. Nestas condições de temperatura, se torna impossível o surgimento de cidades no local. Mas lá existem bases de pesquisas cientificas, possuindo vinte e sete delas de diferentes países. Eles dividem um tratado de 1961, que não permite que ninguém explore os recursos naturais desta região. Os países são: África do Sul, Argentina, Alemanha, Austrália, Bélgica, Brasil, Bulgária, Chile, China, Coreia do Sul, Espanha, EUA, Federação Russa, Finlândia, França, Índia, Itália, Japão, Nova Zelândia, Noruega, Paquistão, Peru, Polónia, Reino Unido, Suécia, Ucrânia e Uruguai. E agora, hoje, a preocupação dos cientistas do mundo todo se volta para os céus, o buraco na camada de ozónio aumentara a temperatura que vai acabar derretendo todo o gelo da Antartica, aumentando o nível dos mares, como aquele gigante bloco de gelo que se desprendeu na Antartica, aumentando o nível dos mares. Para ter noção do inverno rigoroso da Antartica, com o congelamento dos oceanos, a area da Antartica quase, ou praticamente dobra de tamanho! cientistas dizem que daqui a milhões de anos, os continentes vão estar unidos novamente, e assim, a Antartica vai estar unida aos outros continentes tornando a Antartica um continente temperado com varias florestas e animais bizarros, como o Acidóptero daqui a cem milhões de anos, uma ave de quarenta centímetros de comprimento e insetivora. Tem também a ave cospe fogo, o escaravelho cospe fogo, a megavespa, e o quadrpterus azul que vivera daqui a uns duzentos milhões de anos. São somente especulações que podem dar certo, mas com mais pesquisas saberemos mais sobre o continente de gelo: a Antartica.
O mar gelado da Antartica

Nos mares da Antartica durante o inverno reina a escuridão. O mar fica coberto de gelo, sendo raras as aberturas do ar entre a água. As focas se alimentam menos esta época do ano e algumas são forçadas a migrar para locais mais férteis e com águas tropicais ou temperadas. As que são forçadas a ficar perde uma grande quantidade de gordura. Seus dentes ficam desgastados pois eles necessitam abrir fendas com seus dentes no gelo, e quando faz isso, está perdendo seus dentes, ficando banguelas, não podendo caçar. Estas espécies de focas morrem muito jovens. Fendas entre o gelo são mais raras do que no Polo norte pois o congelamento na Antartica é muito mais severo. O krill, alimento favorito das baleias, não precisão abrir fendas pois no gelo ficam presos pequenas bolhas de oxigénio que o krill usa para respirar. Mas todo este sofrimento estara para terminar. O verão chega e todo aquele gelo que revestia o mar da Antartica já se descongelou. Varias outras criaturas estão fazendo uma viagem para cá como as baleias que migram para a Antartica todo ano. Mas na Antartica, existe um mundo alem da superfície e no alto mar. Nas profundezas oceânicas a um mundo de diversas cores formas que se deram a animais de diversas classificações diferentes. Na zona crepúsculo a maioria dos animais se tornaram transparentes, para dar sustentabilidade ao corpo. A maioria nesta zona é invertebrado, principalmente cnindarios. Mais abaixo e se ver uma região totalmente escura. é a zona escura, nenhum resquício de luz chega até esta área. Aqui habita os peixes abissais, e peixes pescadores que possuem uma espécie de isca na cabeça. Entre os animais mais comuns dos mares antarticos estam o isopode, um crustáceo marinho mais parecido com um tatuzinho de jardim e uma barata. Ele é carniceiro e vivem em bandos com alguns indivíduos. Quase todos os peixes e pequenos animais marinhos são encontrados no oceano antartico, e são exclusivos daquela região, não sendo encontrados em qualquer outro lugar na Terra.

A fauna do continente de gelo
Tirando algumas espécies de aves, pinguins e focas, todos os outros animais são marinhos. O que acontece é que o clima da região é tão frio e intenso que os animais decidiram ficar nesta região somente habitando o mar. Aqueles que ficam em terra tem que enfrentar tempestades assoladoras. Mas no verão e primavera é que as coisas começam a mudar. Varias espécies de pássaros migram a esta região como o albatroz, mas o albatroz não é bem vindo pelos pinguins filhotes, pois elas são suas presas. Para os adultos as suas ameaças são as orcas e focas. Mas a ameaça mais presente aqui é a foca. A foca mais comum é a foca leopardo, embora sua refeição predileta seja o camarão, tem um grande apetite por pinguins imperadores. Não são somente os pinguins imperadores que habitam a Antartica, a também outros: tem o pinguim rei, o pinguim de barbicha, o pinguim macroni, o pinguim Gentoo, e o pinguim-saltador-da-rocha. Tem aqueles que habitam a costa da Antartica que são os mesmos que habitam o centro da Antartica. Como disse no texto acima, quase todos os peixes e outros pequenos animais marinhos são encontrados no oceano antartico. Isso se deve principalmente ao forte fluxo de correntes que circundam a Antartica, isolando pequenos animais marinhos naquela parte do mundo. A calmaria no mar só chega no inverno, ao contrario da superficie que a tempestades assoladoras, derrepente, um raio de luz ilumina o chão e animais da Antartica em meses de escuridão, é a aurora austral formadas por particulas carregadas por particulas carregadas pelo vento solar ao interagir com gases da atmosfera terrestre a uma altitude de cerca de 100 km, resultando em emissão de luz visivel que pode ser observada na forma de padrões variaveis de luzes brancas ou multicoloridas. Isso não é capaz de aquecer os animais em terra, mas é um belo espetaculo nos céus. A foca de weddell já fora encontrada em uma profundidade de seicsentos metros e são capazes de permanecer debaixo d'água por até uma hora, que representa perigo aos pinguins, mas eles são muito rapidos abaixo da água, chegando a uma velocidade surpreendente de trinta quilometros por hora! existem diversas espécies de animais na Antartica como o peixe cristal, água viva, aranha do mar, peixe dragão estrela-do-mar-azul e etc, mas algumas delas estão em sério risco de extinção, portanto, é melhor preserva-los para não deixa-los de serem vistos como animais que conquistaram o continente de gelo.
A geografia do continente de gelo:
AREA:14.108.000 km²

PONTO MAIS ALTO: monte vison (5.140 metros de altitude)

PONTO MAIS BAIXO:fossa subglaacial Bentley (2.538 metros abaixo do nivel do mar)

MAIOR MAR:de Weddell (2.800.00 km²)

Nenhum comentário:

postagens mais lidas

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails