terça-feira, 6 de dezembro de 2011

o cérebro dos animais - parte 1

O que nos distingue dentre todos os outros animais é a capacidade de raciocinar e nos questionar sobre perguntas profundas sobre de onde viemos, quem somos nós? recentemente temos procurado vida inteligente fora da Terra, tentando receptar mensagens que podem ter sido emitidas por outros seres inteligentes, assim como nós, em outros planetas. Até hoje, não receptamos nenhuma mensagem, mas é bastante provável que exista tais seres inteligentes, e que eles estejam, assim como nós, tentando achar vida inteligente, sem muito sucesso. nossa inteligencia se deve ao nosso grande cérebro. Nosso crânio possui de 1.700 cm³ a 2000 cm³. A mudança nos genes que são responsáveis pelo crescimento e desenvolvimento do cérebro causa uma doença chamada microcefalia, que reduz o cérebro pela metade do normal. É uma doença rara, mas que ocorre. constitui-se num dos casos de oligofrenia. Existe também casos de pessoas com macrocefalia, onde o cérebro cresce mais que o normal. Mas o crescimento do nosso cérebro teve um custo: a mandíbula perdeu a força. Os chimpanzés tem mais força na mandíbula que nós, mas o desenvolvimento da caixa craniana, para isso ocorrer, foi afetado. 
A quantidade de informação a que temos acesso é uma indicação de nossa inteligencia. A vareta de medição, a unidade de informação é chamada de bit. É uma resposta - ou sim ou não - a uma pergunta. A especificação se uma lampâda esta acesa ou apagada requer um único bit. Nós, como seres humanos, somos bastante inteligentes. Mas existem outros animais tão inteligentes como nós no mundo? não. Mas isso não quer dizer que exista animais inteligentes ao nosso redor. O processo de digestão de uma simples maçã pode parecer simples, mas, para se reduzir tudo o que ocorre durante uma digestão dessa maçã, seria necessário um livro inteiro mostrando passos da digestão da glicose, ácidos atuando no nosso estômago para digerir essa maçã dentre outras ações, como a captura de nutrientes da maçã digerida. Tudo isso ocorrendo dentre alguns minutos em seu corpo. Mas não é dessa inteligencia que falamos, é da quantidade de informação armazenada em nossos cerebros. Nos nossos cerebros existem células chamadas neurônios, e é nos neurônios que estão codificadas tudo o que sabemos. Nelas chegam informações captadas por seus olhos ou ouvidos, e são transmitidas por meio das conexões que esses neurônios fazem. No nosso cerebro existem 86 bilhões de neuronios e 10.000 de conexões sinápiticas. ele também pode armazenar sons e músicas. 


É no cérebro que ocorre todas as sensações, de prazer, medo, tristeza, alegria e outras sensações. Algumas, se pensa, são exclusivas dos seres humanos. Se provou errado. Animais sentem medo, prazer, alegria, carinho um pelos outros, e alguns são capazes até de amar. Isso, em parte, se deve aos nossos genes. O carinho de uma mãe ao filho é chamado de "instinto maternal", como,  por exemplo, em pinguins imperadores, quando um deles perde o filho, eles tentam roubar a qualquer custo, o do outro, que, nessa briga, pode até matar o filhote. Outros não possuem esse instinto, como répteis, lagartos põe os ovos no ninho, e depois o abandona a própria sorte. Pode parecer cruel, mas os filhotes abondonados já vem "programados" para sobreviver. Como tartarugas marinhas. As mães colocam os ovos na praia e depois rumam para o mar, podendo nunca mais ver os filhotes. E esse ciclo se repete a milhões de anos. Os instintos guiam os animais. Mas nós, pela primeira vez, o desafiamos. Hoje nós procuramos meios de nos divertir e se alegrar, buscar conhecimento e prazer, os nossos instintos não nos diz nada sobre fazer isso, e hoje, graças a nossa intêligencia, desafiamos nossos instintos. Sentimos diversas emoções, pode ser que algumas delas sejam exclusivas nossas. Dentre elas, uma da qual nós conseguimos ver sem os olhos, que é chamada geralmente de imaginação.  


Nenhum comentário:

postagens mais lidas

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails