terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Taiga

   

No norte do planeta Terra, se encontra um dos maiores ecossistemas terrestres na Terra. A Taiga, ou floresta boreal, ou floresta perene, cobre um décimo das áreas terrestres, e possui florestas quase virgens, sendo a maior floresta do mundo. Mas o que chama atenção mesmo são suas árvores. Dispersas, a floresta tem somente uma espécie de árvore: a cónifera. É a única que consegue crescer aqui. Dependendo da estação, é geralmente úmida, com riachos cortando as florestas, esses riachos suportam vários animais que vivem lá. Mas o maior desafio para uma animal que vive na Taiga é a mudança de estações. A Taiga se localiza somente no norte da Terra, pois não há condições climáticas favoráveis ao crescimento da vegetação da Taiga no Sul. Ela pode também ser chamada de floresta Boreal, como é chamada por muitos, ou floresta perene. As árvores aqui geralmente crescem menores por causa das condições climáticas. Na floresta, o solo recebe pouca luz, mas não tão pouca quanto a floresta tropical, por isso não cresce outro tipo de vegetação aqui, mas o solo está repleto de fungos de tamanhos e formas diferentes, além de plantas de pequeno porte, musgo e líquens. São essas plantas de pequeno porte que sustentam animais pequenos que vive no solo. Mas a maioria depende das cóniferas para sobreviver, animais tais como esquilos, e alces. Nos riachos se localiza grande parte da fauna da floresta, como castores, que dependem do rio para viver, mas essa necessidade é cortada no inverno pois os rios la congelam, só alguns com a correnteza forte que não terminam por congelar, pois seu movimento impede tal congelamento, e no inverno, esses rio são essenciais para a sobrevivencia dos animais da floresta. Ao norte da Taiga fica impossivel o crescimento de árvores, suportando somente gramíneas, formando o ecossistema chamado Tundra. Ao norte já é possível o crescimento de variadas árvores, formando o ecossistema Caducifólio. O nome floresta Boreal deriva do deus grego do vento Norte, que se chama Bóreas. As coníferas são as únicas que conseguem crescer a partir dessa área pelo clima, e, elas ainda crescem menores. No hemisfério Sul não ha a presença da Taiga, por que os climas em  das pequenas áreas terrestres terrestres são tão modificados pela presença do mar, que se acaba tornando impossível o surgimento de um bioma como esse, mesmo nas latitudes ideais, o que faz o crescimento da Taiga possível somente no hemisfério Norte.



 A mudança de estações 
A Taiga foi "projetada" para sobreviver a mudança de estações, na qual varia muito. No inverno, o local é coberto por neve, no verão, é banhado pelo sol. A taiga nunca teve um clima uniforme.  Tem invernos rigorosos e verões quentes. A primavera é um alivio a parte aos habitantes da floresta. É durante a primavera que ursos acordam de sua hibernação, e lobos tem uma caça mais rica. A primavera e o verão representam os três únicos meses em que há calor e luz solar o suficiente para o crescimento das árvores, e comida o suficiente para os animais. No outono, a luz e calor não se torna o suficiente para o suporte das coníferas  por isso elas devem sobreviver com o resquício de luz solar que os resta. É durante o outono que as primeiras nevascas ocorrem, indicio que as temperaturas já começaram a cair. por sorte os animais que vivem nessa região já são adaptados a certas condições climáticas. no horizonte ainda se vê os resquícios de luz solar em um longo crepúsculo. O inverno chega, a floresta boreal parece deserta. É silenciosa, a neve cobre o solo e as árvores ficam cobertas com um peso imenso de neve, chegam a encurvar de tanta neve, algumas, podem carregar toneladas de neve. Por isso, algumas adquirem uma feição retorcida. Mas raramente quebram. Os animais sofrem durante o inverno, fica mais difícil de se agarrar uma presa, e de comer das plantas, além de ter que suportar as baixas temperaturas, na qual podem cair a até -30º celsius. Fica cada vez mais difícil de se caminhar pela floresta, pior ainda para animais grandes e pesados, que afundam mais devido ao seu peso. Somente os riachos mais violentos e rápidos não congelam, que podem fornecer água para os animais. Mais ao norte quase todos congelam e a escuridão é muito grande. As temperaturas ficam mais rigorosas. É incrível, que, sob tais circunstâncias citadas, as árvores e arbustos consigam sobreviver. Ainda mais impressionante é que alguns animais conseguem sobreviver nessa escuridão. A única luz que eles tem é a luz da Aurora Boreal, que não aquece, mas exibe com grande esplendor um conjunto de luzes de diversas cores bailando sobre os céus noturnos, um verdadeiro espetáculo que a Terra tem para oferecer. Os Inuítes, habitantes da região polar achavam que eram espíritos bailando nos céus, mas hoje nós sabemos que são eventos que ocorrem na termosfera, devido ao impacto de partículas de vento solar com partículas de poeira espacial da via láctea que se encontram com a atmosfera terrestre  e são canalizadas  pelo campo magnético terrestre. Isso também ocorre em outros planetas, como Júpiter, e são ainda mais espetaculares. Mas essas luzes não aquecem, lembrando que essas luzes só podem ser visto mais ao norte da Taiga. Depois de longos e frios meses de escuridão, a primavera chega, e o calor emitido pelo sol permite as árvores fazerem fotossíntese de novo, a neve derrete, assim como  a camada de gelo que cobrem lagos e descongelam os rios, quebrando capas de gelo e arrastando tudo o que estiver na sua borda, até árvores. Mas são só três meses de luz solar, da qual todo o ecossistema da Taiga depende.    
 Vegetação
A Taiga é representada por um único tipo de vegetação, a de Coníferas, pois elas são as únicas que são capazes de crescer nessas latitudes. o antigo grupo de coníferas surgiu no final do período cabónifero. Foi abundante no mesózoico e é representado atualmente por 600 espécies. na Taiga as árvores crescem e ficam de tamanhos reduzidos, pois as condições climáticas e a luz solar regular impedem o seu crescimento. A maioria das coníferas do norte possui forma cônica, como as árvores de natal, assim, a neve consegue deslizar pela árvore, e seus ramos não se partem com o peso da neve. Elas também possuem folhas duras, chamadas agulhas capazes de suportar os invernos rigorosos da Taiga.  As coníferas não produzem flores, elas são gimnospermas, elas, ao invés disso, produzem sementes. Elas se chamam coníferas justamente porque suas sementes não se desenvolve dentro de frutos, mas dentro de cones chamados pinhas. Há uma semente dentro de cada escama da pinha. As agulhas das coníferas se decompõe lentamente ao cair no chão. A terra da Taiga é mais pobre do que a das florestas tropicais e de folha caduca. As agulhas crescem muito juntas nos ramos, consequentemente, chega pouca luz ao solo.Isso significa que cresce poucas plantas  entre as árvores. Mas algumas conseguem crescer. Arbustos, musgo, fungos, líquens cresce sob o solo da Taiga. Plantas de pequeno porte conseguem crescer na borda dos rios. Já que mantém suas folhas durante o ano todo, as coníferas não precisam produzir novas folhas na estação de florescimento. Na Sibéria, existe o lariço, um tipo de conífera que perde suas folhas no inverno. Assim, podem continuar crescendo logo que o clima esquenta. Quando as folhas pontudas caem e se decompõe, criam um tapete grosso na floresta. repletas de cera e resina, elas apodrecem devagar sob as temperaturas congelantes no inverno da Taiga. seus ácidos infiltram o solo. O musgo da floresta se desenvolve nesse terreno ácido, mas poucas as plantas que sobrevivem nele. Então, assim, se forma  quatro camadas no solo da Taiga: Primeiro uma cobertura densa de folhas caídas, abaixo dessa o musgo, abaixo do musgo um solo fino onde as raízes das árvores se espalham para prender a árvore. E por último a Permafrost no extremo Norte. As folhas em forma de agulha são rolinhos  estreitos cobertos de cera. Como não perdem muita água com a evaporação, elas ficam nas árvores durante o árido inverno boreal, quando o solo congela. Mas, apesar de ser frio, isso não descarta a possibilidade de incêndios no verão. Muitos incêndios na Floresta Boreal acontecem na naturalmente. Eles são uma parte vital do ecossistema, pois ajudam a liberar sementes e fornecem as cinzas que nutrem as plantas. Esses incêndio podem perecer devastadores, e muitas pessoas tentam conte-la, mas são uma parte vital pera a sobrevivência desse belo ecossistema.

  Fauna
Os animais que habitam essa área devem ser bastante equipados para a sobrevivência nessa área. Eles mudam a paisagem com sua figura, e habitam a maior floresta do mudo. A taiga possui uma rica fauna. Bisões ao norte junto com lobos, alces, esquilos, arminhos e até galos. No topo da cadeia alimentar da Taiga está o lobo. Simplesmente o maior canídeo do mundo. Eles habitam as áreas mais ao Norte da Taiga, onde o frio é maior e a as presas na qual eles são especialistas em caçar. Eles vivem em grupos chamados usualmente de "Alcateias". Esses lobos se organizam em grupos bastante organizados criada sob forma hierárquica. as alcateias tem um ou vários casais e seus filhotes, os "Lobachos". E eles caçam muito bem. Sua presa favorita é a Rena ou caribu, um grande cervo que também habita a Taiga e a Tundra. Eles vivem em grandes rebanhos. lobos solitários atacam os filhotes desprevenidos, cujo é mais fácil de derrubar e matar. Mas para isso acontecer se deve separa-los do grupo. Durante o inverno fica mais difícil de agarrar uma rena pois está tudo coberto por uma espessa camada de neve, e com pernas alongadas a Rena consegue escapar, mesmo com a vantagem dos lobos estarem em grupo. Um outro grande predador da Taiga é o Carcaju. A primeira vista você pode perguntar "mas o que isso pode fazer de mal a uma rena, por exemplo" O carcaju pode parecer inofensivo, mas é um animal feroz. Podemos achar eles comendo carcaças de outros animais, mas não se engane: esse animal pode derrubar um alce, e desafiar um Lobo ou um urso pela comida. Ursos também vivem por aqui. Eles são animais de habitos onívoros, comem pequenas frutas a grandes presas como alce, alem do seu famoso gosto por mel. Eles tem fama de comer muito, mas com razão. Durante o outono eles vão para uma corrida contra o tempo. Eles comem tudo para engordar, principalmente alimentos calóricos. Mas por que comer tanta comida assim? porque eles vão hibernar, e durante a hibernação eles não comem, bebem, defecam ou urinam uma única vez, e ainda gastam toda sua caloria. Quando acordam, eles devem balançar tudo isso de novo, comer grama, frutas, carne e principalmente a de salmões. Salmões são altamente calóricos, e podem lhe servir como energético. É nessa época em que eles sobem o rio para desovar. Depois que salmões desovam, eles morrem. Claro, eles não desovam só uma vez na vida. Depois de se alimentar tanto, os ursos estão de volta com bastante calorias para gastar.  na Taiga também vive o maior felino do mudo. O tigre siberiano. Ele está em alto risco de ser extinto. Tem compridas pernas e longos pelos para sobreviver ao inverno agonizante da Taiga. Mas a Taiga não é feito só de predadores. A os vegetarianos também. Viver aqui se alimentando de folhas dos pinheiros é difícil. Elas não são nada suculentas e são meio "espinhosas". Aqui existem aves também, até mesmo galos. O Tetraz come agulhas de coníferas. Passa quase todo o dia comendo para obter energia o suficiente, e no verão eles brigam por fêmeas. Existem outras aves como a coruja-lapônica e a coruja das neves. No topo das árvores existem o esquilos, que comem as plantas, sementes de coníferas e ovos de pássaros  São habilidosos, mas sempre correm perigo de ser pego por uma Marta, um animal igualmente habilidoso em pegar presas e roubar ovos de pássaros, tais como os cruza - bico, especializado em partir as pinhas com o seu bico cruzado para tirar e comer os pinhões. Mas existem aqueles animais grandes que habitam a Taiga, como o alce, eles vivem em rios e tem pernas longas para caminhar sobre a camada de neve que fica acima do solo, além de facilitar a locomoção nos lagos e rios. Ao contrário dos alces, bisões vivem em grupos e lutam com seus chifres pela dominância do grupo. Alguns insetos invadem a floresta e comem as folhas de árvores mais velhas. Esses ataques abrem espaço para o crescimento de outras árvores Castores também habitam rios, são roedores que possuem uma estranha cauda que as batem ao menor sinal de perigo. Eles, cortando árvores e pegando troncos formam uma barragem, parecida com nossas hidrelétricas, eles inundam parte da floresta durante essa construção. Mas em matéria de modificar o ambiente onde vivem, nenhum é melhor que a espécie humana. No passado, tribos chamadas Ojibways habitacvam esse local. Hoje, a civilização mais avançada destroi esse ambiente, e veremos como abaixo.    

Problemas Ambientais
A Taiga é um ambiente memorável e cheio de maravilhas, como vimos nessa postagem. Mas ela está sob uma ameaça. Sim, a maior florestado mundo ameaçada. Não é por uma grande erupção de lava basáltica, ou uma era glacial que está congelando todo o hemisfério Norte. É uma ameaça causada por um animal que ela mesma abrigou e lhes mantéu vivo. O Humano. De todas as florestas, a Taiga é a mais ameaçada pelas mudanças climáticas causadas por nós mesmos. Alguns especialistas previram uma diminuição dramática das florestas Boreais em todo o mundo. Pois com as mudanças climáticas, as condições para a existência da Taiga tem cada vez rumado ao Norte, em busca das condições perfeitas para o crescimento desse ecossistema. Cada vez mais estradas tem sido construídas, cortando a Taiga. No limite do crescimento da Taiga incêndios ficam cada vez mais comuns, transformando boa parte dessa fronteira em campos. Os incêndios florestais cresceram dez vezes em vinte anos, e, na América do Norte eles dobraram. Incêndios são essenciais para a Taiga, mas em excesso pode danificar seriamente o ecossistema. Na Sibéria também a primavera tem chegado cada vez mais cedo a cada ano desde 1982. No Alasca a estação começa duas semanas antes que em 1950. Primaveras quentes provocam pragas de insetos e estimulam os pássaros a migrar e acasalar mais cedo, causando problemas e um desequilíbrio na cadeia alimentar. Outro problema que causa essas mudanças climáticas é que em sua fronteira Sul, a Taiga está começando a se misturar com as florestas Decíduas. desde a década de 1980, o álamo-tremedor, uma árvore decídua comum nas florestas Boreais vem sofrendo regressão por causa das secas e das invasões dos insetos.    Além da mudança climática que estamos causando também estamos derrubando ela para fornecer celulose. Elas são as maiores fornecedoras de celulose. Mais de 100 milhões de árvores são derrubadas por ano. E de 33% a 50% dessa madeira derrubada vira papel. A destruição desse habitat coloca em risco de extinção animais como o lobo e o mais poderoso dos predadores, o tigre siberiano. Na Rússia somente 14% das florestas são grandes o bastante para abrigar esse majestoso predador que é o tigre siberiano. E no Canada somente 10 % dessas florestas estão protegidas por lei. Já está mais que na hora de dar um "basta" na destruição desse belo ecossistema. Se não pararmos de destruí-la agora, a Taiga só vai poder ser vista de novo em livros e na internet, e terá sido só mais uma outra vitima da ganância de um animal que se acha superior só por ser mais inteligente que os outros, o ser humano.

Fontes

  • Enciclopédia da ecologia 
  • Biologia: versão verde 
  • Frozen Planet (BBC)
  • Vida dos mamíferos (BBC)

Nenhum comentário:

postagens mais lidas

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails